PERFIL DE CONSUMO E PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DA CARNE SUÍNA POR ACADÊMICOS DE ENSINO SUPERIOR – VIÇOSA, MG

Jucilene Silveira Dueli, Leonardo Martins Xavier, Mariana Costa Fausto, Adriano França da Cunha, Rogério Pinto

Resumo


Este trabalho teve como objetivo conhecer o perfil do consumo, bem como a percepção em relação à carne suína, de estudantes do ensino superior de uma rede privada localizada na cidade de Viçosa, MG. Uma amostra de 250 alunos regularmente matriculados nos cursos das áreas de saúde, agrárias, engenharias e humanas foram entrevistados por meio de um questionário de 20 questões objetivas referentes a informações socioeconômicas e aos hábitos de consumo de carne. Os dados foram analisados de forma descritiva, valendo-se de frequências absolutas e relativas, bem como frequências múltiplas concluindo que a maioria dos entrevistados pertencia ao sexo feminino (54%) com faixa etária de 21 a 24 anos (30,4%), possuíam renda familiar de até 2 salários (40%) e eram alunos do curso de Medicina Veterinária (38%) e do curso de Engenharia Civil (18%). Assim a carne bovina é preferida por 57,6% dos entrevistados, seguida de aves (17,6%) e em terceiro lugar a carne suína (15,6%), ficando a carne de peixe em último lugar (8,8%). Em relação à frequência semanal do consumo de carnes foi possível verificar que a maioria dos entrevistados (75,6%) consome carne diariamente, ou seja, 7 dias da semana, porém se tratando da frequência do consumo semanal da carne suína, a maioria dos entrevistados (30,8%) dizem consumi-la apenas 1 vez na semana. Contudo o consumo de carne suína pelos estudantes do ensino superior da Univiçosa mostrou-se limitado, necessitando de estratégias que permitam a difusão de informações referentes à sua qualidade e benefícios.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.