ESTRESSE OCUPACIONAL E SUAS IMPLICAÇÕES NO PROFESSOR DO RECÔNCAVO BAIANO: O ENSINO SUPERIOR DE SANTO ANTONIO DE JESUS-BA

Girlana Santos Andrade, Karina Kelly Silva Macêdo, Ana Virgínia Pereira dos Santos Santos

Resumo


A partir da Revolução Industrial, o mundo passou por
transformações importantes nos seu modo de produção, sob o qual o
trabalhador é submetido constantemente a pressões por produções.
Nesse contexto, a demanda por mão de obra qualificada também é
uma realidade constante, não sendo diferente na carreira docente,
onde os professores são sobrecarregados por elevados volumes
de trabalho, bem como a cobrança por produções publicáveis em
revistas importantes nas suas grandes áreas, além de participação
mais freqüente em eventos acadêmicos, aliados aos salários que
o Brasil oferece à essa mão de obra, sendo muito abaixo daqueles
pagos nas nações desenvolvidas, aliados, ainda, a não valorização
social da profissão. Tais variáveis podem atuar como importantes
estressores, influenciando diretamente na saúde e qualidade de
vida dos professores. Entretanto, analisando-se duas Instituições
de Ensino Superior (IES) localizadas no Recôncavo Baiano, sendo
uma pública estadual e a outra da rede privada, os resultados
coletados através de revisão de literatura e estudo de caso, de
cunho exploratório e de abordagem qualitativa, cujo instrumento
de coleta de dados foi por meio da aplicação de 6 formulários junto
aos docentes da IES privada lotados no colegiado de Administração
(55% da população deste curso), e 8 (67%) da Universidade Pública,
servidores do mesmo curso. Os resultados indicam que o nível de
estresse registrado nesses dois grupos é praticamente inexistente,
sendo variável estressora a carga de trabalho e o deslocamento, tendo em vista que a maioria não reside na mesma cidade em que trabalha.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.